• Mayra Salles

Por que usar gamificação para engajar meu time?

Atualizado: Jan 4

Engajar e motivar os colaboradores é um dos grandes desafios das corporações e essa pauta tem sido cada vez mais discutida. O cuidado com o bem estar físico e mental dos times passou a ser item de primeira importância, uma vez que pessoas engajadas e motivadas são mais produtivas.



Um dos caminhos utilizados por muitas empresas é o da gamificação. O uso de metodologias baseadas em interações de jogos é uma forma de estimular e engajar colaboradores, com objetivo simples: facilitar a realização das tarefas por meio da motivação.


Olhando pelo prisma do bem-estar e saúde, a gamificação é uma excelente aliada na mudança de hábitos, pois cria um ambiente de estímulos e de interação entre as pessoas.


Muito mais que um benefício para empresas, o programa da VIK é baseado em uma metodologia que une gamificação, redes sociais e técnicas de motivação do esporte. Dessa forma, os colaboradores são convidados a começar uma mudança de hábito, que se mantém ativa por meio de estímulos diários que promovem a integração entre as pessoas e a prática de atividades físicas.


“Assim que é cadastrada no app da VIK, a pessoa responde um questionário de saúde. Com esses dados, sabemos se ela é ativa ou sedentária. Nossa proposta é misturar essas pessoas para criar times equilibrados”, comenta Pedro Reis, CEO da VIK.


Além de promover a integração de pessoas em diferentes níveis de práticas físicas, a metodologia da VIK também integra diferentes gerações. “Nós já tivemos inúmeros casos do presidente da empresa cair na mesma equipe que o estagiário. Pessoas diferentes, com idades diferentes e em estágios diferentes de cuidados com a saúde, mas com um objetivo em comum”, ressalta Pedro.


“É claro que existe uma geração mais familiar ao universo dos jogos, mas essa proposta de resolver os problemas do ambiente corporativo de forma divertida, que não deve ser confundida com festa, é desejo de todos. Pesquisas mostram que a faixa etária que mais defende o trabalho divertido são as faixas etárias maiores”, comenta Tiago Marinho Sizenando, especialista em gamificação.


Para explicar um pouco mais sobre o tema, o podcast Startup Life produziu um episódio dedicado ao tema, que contou com a participação de Pedro Reis, CEO da VIK, e de Tiago Marinho Sizenando, especialista em gamificação.

Confira o episódio completo aqui

12 visualizações0 comentário